Follow by Email

terça-feira, 9 de abril de 2013

A escolha do carrinho


Definida a situação de que Anúbis não voltaria mais a andar, chegou o momento de providenciar uma cadeira de rodas canina para ele. Outra maratona. As fábricas não ficam em São Paulo. A mais perto que achei era a quase 400 km. Elas mandavam uma ficha para preencher com as medidas do cão e depois mandavam o carrinho pelo correio. Não ficou bom? Problema do dono que “não tirou as medidas” direito. Isso era bem claro na maioria dos sites.

Investimento alto – em média R$ 800 reais para amargar um produto sem troca caso não se ajustasse ao cachorro. É certo que todos eles vêm com alguns parafusos para apertar mais ou soltar um pouco dando certa flexibilidade de tamanho ao veículo, mas confesso que fiquei receosa. Continuei procurando até que achei duas opções: fazer um carrinho em casa ou contar com a boa vontade de uma veterinária mineira que criou um carrinho feito com canos de PVC, os quais ela só cobraria material e Sedex, pouco mais de 100 reais. Depois descobri que há outros trabalhos semelhantes mais perto.

Fiquei com medo das medidas não ficarem justas então optei por baixar dois projetos de carrinho pela
Há modelos sofisticados
internet e fazer em casa mesmo. Estudei os projetos, mas vi que seria complicado montar sozinha. Conversei então com um amigo que mora em Jarinu, cerca de 100 km de Cotia e que talvez pudesse me ajudar. Além de ser jeitoso, ele tem um filho especial que anda de cadeira de rodas e para quem ele já teve de adaptar diversos equipamentos.

Além da distância tínhamos um problema de agenda, pois o maior fluxo de trabalho dele é aos sábados e domingos enquanto durante a semana complicava para mim. Decidi então conversar com a veterinária de Minas Gerais e pedir para ela fazer o carrinho para ele. 

E outros bem mais simples
Eu e uma veterinária aqui de Cotia tiramos as medidas dele, mas as duas estavam muito inseguras, pois é difícil medir um animal parcialmente inerte. As patas de trás estavam moles. Qual seria o comprimento certo dessas patas se ele ficasse em pé, entre outras dúvidas. Mandei fazer o carrinho, mas como eu temia, as medidas não bateram. 

Foi um pouco frustrante na hora em que fui experimentar, mas entre os modelos oferecidos eu escolhi o que
foi melhor dentro das minhas possibildades. Isso porque como o carrinho é feito com canos de PVC, se alguma parte não ficou adequada dá para refazer em casa mesmo, o que precisaria ser feito com o carrinho do Anúbis, uma adequação na altura. Outra jogada inteligente dessa veterinária mineira é que ela manda as peças do carrinho apenas encaixadas, então se precisar fazer algum ajuste fica fácil, pois você cola o carrinho somente quando ele já está ok.

A veterinária Renata Cobo faz
carrinhos a preço de custo
Um rapaz que trabalha com cães se ofereceu para fazer o ajuste no carrinho. Ele foi super atencioso, e teve boa vontade diante de outras pessoas que, mesmo podendo, me viraram as costas nesse período. Só que o Anúbis continuava sem mobilidade porque o ajuste feito novamente não deu certo. O que eu não sabia nessa época é que um milagre estava prestes a acontecer.

Projetos de carrinho para fazer em casa:


Vídeos que ensinam a fazer cadeirinhas:


Pessoas que fazem carrinhos a preço de custo:


Fábricas de carrinhos:

http://www.vetcar.com.br/

Páginas no Face sobre animais com problemas de locomoção ou que precisam de fisioterapia:


Dicas de uma outra proprietária de cão paraplégico:





Nenhum comentário:

Postar um comentário