Follow by Email

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

A nova rotina


Pela manhã e à noite a rotina passou a ser a mesma e durar aproximadamente 45 minutos.  Mesmo acordando 5h30, com essa novidade, passei a não conseguir mais correr. Pode parecer egoísmo, mas fiquei morrendo de medo de voltar a engordar. Isso porque, cheguei a mais de 30 kg acima do meu peso nos últimos anos e, nos últimos quatro meses, consegui emagrecer mais de 10 kg, além de ter assumido diversos outros cuidados comigo mesma. Precisaria fazer uma escolha que eu não queria fazer. Assim como à noite, pois às vezes trabalho em algum evento ou tenho algum cliente de coaching até tarde da noite, agora sabia que não poderia mais simplesmente cair na cama. Esperava-me uma rotina minuciosa e que precisava de atenção. E como a ansiedade me faz comer, passei a monitorar meu peso diariamente.

Até então Anúbis não urinava por conta própria e estava com diarreia. Nesses primeiros dias o ritual era mais complexo e precisava ser feito duas vezes ao dia. Era composto por:

·         Colocar focinheira – fundamental para evitar mordidas, pois eu estava mexendo em partes do corpo dele que doíam.


·         Calçar luvas cirúrgicas – teve quem achou gasto desnecessário, mas para mim têm sido fundamental pelos seguintes motivos: higiene do cão e minha, e também pela facilidade de manipular o Anúbis. Afinal é uma atitude natural recolher as mãos quando se tem contato com algumas substâncias. Com as luvas calçadas eu passei a ficar muito à vontade com ele e com o que surgisse.


·         Deitá-lo de lado em cima de um tapete higiênico – fundamental tanto para isolá-lo da contaminação do quintal, quanto para ajuda a absorver a urina que vazasse.

·         Colocar a sonda no pênis até chegar na uretra.  Encaixar a seringa para puxar a urina muito devagar.   Fazer a extração da urina (dependendo do dia chegava a 300 ml) – como já disse não vou ensinar detalhes, mas é um procedimento bem delicado e que precisa de muita calma para se feito.


·         Limpar toda a área da cintura para baixo dos dois lados e na barriga com soro fisiológico (erro corrigido posteriormente) –  por mais que eu tomasse cuidado, ele sempre se sujava. Inclusive porque não produzia fezes até porque passou dias sem querer comer, mas ao manipulá-lo para extração da urina, eu sempre provocava algum outro tipo de excreção. A sugestão que eu recebi foi lavá-lo todos os dias com sabão medicinal e enxaguá-lo. Impossível.  Um cachorro de grande porte, difícil de manipular, sendo que eu tenho chuveiro só no andar de cima da casa. Tentei um dia só, com sabão e um balde. Ele ficou todo ensaboado por mais que eu jogasse água. E depois ficou todo molhado. Diante disso vi que soro fisiológico e um paninho bem limpo ou gaze poderiam ser uma opção desde que eu fosse bem detalhista no processo. Ainda não era o procedimento ideal, mas foi o melhor que eu pude fazer naqueles dias.

·         Secá-lo com uma toalha – fundamental para não irritar a pele. Lembrando que, se por um lado Anúbis nunca gostou de secador, por outro o horário em que eu o higienizava, se eu ligasse um secador no quintal receberia multa do condomínio.


·         Passar  pomada contra assaduras nas escaras  (erro corrigido posteriormente) – como ele sempre foi um cão muito ativo, Anúbis não queria ficar quieto. Arrastava-se por todo o quintal. Como o chão é áspero ele ficou todo cheio de feridas logo de cara. E, claro, as moscas começaram a rodear e a pousar. Para cicatrizar, comecei a usar pomadas para bebês. Apesar de eficazes foi um erro. Eu passava a pomada e ele se arrastava pelo quintal. A sujeira grudava na pomada e as moscas também.

·         Dar comida – comer foi um drama nos primeiros dias. Ele não queria nada nem comer nem tomar água.  Caso a situação perdurasse, eu precisaria dar soro subcutâneo nele. Aprendi todos os procedimentos: como tirar o ar do tubo, injetar sob a pele, deixar o soro em lugar alto, regular a quantidade etc. Mas ainda bem que ele resolveu comer, pois não sei se eu conseguiria fazer o procedimento em casa. O medo de não retirar todo o ar do tubo e com isso correr o risco de matá-lo me fizeram não dar soro. Ainda bem que ele resolveu tomar água e sentir um pouco de fome. Passei então a fazer comida caseira para ele: arroz, cenoura e a carne daqueles sachês prontos (sou vegetariana então preferi evitar comprar carne e eu mesma preparar). Dava comida apenas uma vez por dia, porque ele precisava perder peso já que a atividade física – que era intensa – praticamente cessara.

·         Lavar o quintal – por mais que eu tomasse cuidado o quintal acabava ficando sujo. E eu precisava também intensificar a limpeza, já que ele ia se arrastar.

·         Fazer o exercício da toalha (fisioterapia) – para tentar fortalecer os músculos das patas traseiras e também para incentivar a rede neural, ele passou a fazer um exercício todos os dias (vejam fotos). O propósito era fazê-lo firmar as patas traseiras no chão e andar. Foi um fiasco, veja no passo a passo.

·         Trocar o tapete higiênico. – todos os dias até que eu descobri os tapetes laváveis (vejam em post futuro)

·         Tirar a focinheira - o que eu esqueci mais de uma vez

·         Lavar o material reaproveitável – fundamental não deixar para depois porque acumula e dá preguiça


O exercício da toalha - passo a passo ilustrado


Um dos exercícios mais importantes em um cão na condição do Anúbis pode ser feito em casa mesmo. É a fisioterapia da toalha. Cães grandes como ele são mais difíceis, devido ao peso. Eu tive de consertar a minha coluna nas aulas de pilates. E confesso a vocês, não faço todos os dias esse exercício apesar de necessário. Só quando alguém vem me visitar porque para um cão grande a segunda pessoa é fundamental para que tudo saia certo.

O exercício consiste em passar uma toalha ou um cobertor na parte traseira do cão – perto da barriga – e erguê-lo do chão na sua altura normal. Ele ficaria apoiado nas patas dianteiras sustentando o corpo  O apoio da parte traseira seria dado pelas mãos que seguram a toalha. Nesse momento é importante não deixá-lo cruzar as patas – ou descruzá-las se ele o fizer e deixar que ele fique com as patas na posição em que estariam se ele andasse normalmente.  Caso os pés dobrem para trás ajeitá-los na posição normal.  Nessa posição incentivá-lo a andar durante cinco minutos. Caso ele não queria, ir oferecendo petiscos à distância de dois ou três passos para incentivá-lo em cada movimento.  


 


  

10 comentários:

  1. Ola Karen, tudo bem??
    Agora o Anubis esta urinando sozinho?? E a diarreia melhorou? Os veterinarios ja descobriram o que aconteceu com ele? Gostei da carinha dele fazendo o exercicio, rss.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gislene muitas evoluções. Eu é que estou atrasada em postar as novidades no blog, mas vou corrigir isso. Sim agora ele trocou a sonda pelas fraldas. Vou colocar um post sobre isso. E agora ele mora dentro de casa. Muito melhor para ele e para mim. Vou colocar as noticias. bjs

      Excluir
  2. Menina....

    Engordar com o quê??? Tá doida?? Com essa rotina, nem na melhor academia a sequÊncia de exercícios seria tão completa!!! :)
    E agora, o menino lindo tá te ajudando mais? Quando isso deixar de ser susto para ele, vc vai ver, ele irá cooperar.... é tudo muito novo, tadinho....
    Estamos aqui torcendo por vcs dois, viu???

    Beijinho,

    Ana e Scully

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que nada Ana, stress engorda pra caramba por si só e também faz comer. Mas estou atenta. Ele está se acostumando aos poucos - apesar de que adorou ficar agora dentro de casa, vou colocar um post sobre isso. Eu tenho uma cliente que faz florais, encomendei um para ele. Obrigada pelo carinho e vou atualizar as notícias pois estão atrasadíssimas. bjs

      Excluir
  3. Eu fiquei impressionada com essa rotina diária e concordo com a Ana que é tudo muito novo e recente, com o tempo você vai fazer tudo rapidinho e ele vai colaborar direitinho. Estou torcendo por vocês! Já assinei pra receber por email.
    Beijos
    Laís

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Laís, tem muitas novidades, eu é que me atrasei em postar mas vou colocar o blog em dia. bjs

      Excluir
  4. Como faço para receber e mail, como a Pink????
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gislene tem logo abaixo do enunciado do blog um espaço escreva seu e-mail. Colocando seu e-mail ali você vai ficar sabendo das novidades. Obrigada pelo interesse e pelo carinho. bjs

      Excluir
  5. Oi tudo bem?Tenho uma cachorrinha também que precisa de cadeira de rodas para se locomover por isso usa fraldas?Será que eu posso lavar a parte que fica com a fralda todos os dias?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom da Bárbara, a higiene é fundamental tanto para o bem-estar quanto para a saúde dela. O ideal é trocar a fralda a cada oito horas. Caso na troca de fraldas esteja tudo limpinho e sequinho você pode passar um óleo de amêndoas (R$ 8 reais nas farmácias) par hidratar. Dá uma sensação de bem- estar. Se for necessária a limpeza na troca de fraldas, os lencinhos umedecidos são excelentes. A limpeza mais completa, com água morna e vinagre você deve fazer uma vez por dia com o cão sem fraldas, pois a região em que vai a fralda também precisa ser limpa. IMPORTANTE: mantenha o cão sempre bem tosado e seque bem antes de colocar a fralda para não dar assaduras. Faça a limpeza como orientei acima. Banho todos os dias vai deixar a área úmida e pode assar ou dar fungos. Espero ter ajudado. Abraços. Karen

      Excluir